manchinha

Fevereiro 21 2005
semaforo.gif prontos! este país parece um semáforo. ainda por cima, um semáforo de delinquentes: só passam com o vermelho ou com o laranja e aceleram de forma suicida. tudo o resto é para daltónicos: verde, azul, cinzento... que interessa? isto é genético, só pode... ontem até me doeu a alma a ver aquela gente toda a fazer uma festa, de bandeirinha no ar, a celebrar os pikenos que os vão comer por parvos nos próximos quatro anos. sim, porque se julgam que um tipo que diz que vai aumentar as pensões sociais para os 300 euros, como se fosse o zorro a distribuir moedas de prata num qualquer país da américa central... como se fosse possível alguém viver com 300 euros - porque isso sabe-se, mas pelo menos não se diz; ou melhor, agora até se diz e toda a gente acha bem - mas ele conseguia alguma vez viver com 300 euros? e os mais velhos, com medicamentos e dietas para fazer? e contas de luz e água e gás para pagar? 300 euros, mas o homem não é daltónico - tem um olho cego e acha que é deus... já agora, dêem-se ao trabalho de ir ver os sites da imprensa estrangeira: a referência às eleições portuguesas surge como subtítulo a seguir aos resultados do referendo espanhol à constituição europeia. coincidência? perguntem ao jorginho sampas. se calhar já somos tão espanhóis que o melhor é estar de bico calado. vale?
publicado por manchinha às 10:43

Fevereiro 20 2005
fotoclairebretecher.jpg Conhecem? os frustrados, santa teresa de ávila e outros personagens fizeram e fazem as minhas delícias em termos de banda desenhada. a autora, além de genial no desenho e no guião, conseguiu trabalhar em tudo o que foi projecto de BD digno de nota, com o goscinny, para a revista tintin, sozinha, ilustrando, gozando. claire bretecher é uma referência. crítica, impiedosa e genial, digo-vos só.
publicado por manchinha às 15:02

Fevereiro 20 2005
Agrip2.gif
publicado por manchinha às 14:57

Fevereiro 15 2005
pedropinoquio.jpg eu não estou aqui para enganar ninguém mas digo-vos é preciso uma lata desgarrada para se ser candidato depois de se ter sido despedido do cargo num feito sem precedentes na diarreiocracia portuguesa mas a bem dizer já que hoje não acordámos modestos é assim mesmo pinóquio é assim que se faz política por aqui até porque os jornalistas nem lata têm para te apontar o dedo pois não também só têm lata para fazer de conta que não se passou nada não vás tu cantar de novo de galo lá no poleiro e depois é uma chatice que isto dos despedimentos na comunicação social não é como na política é preciso dar muito c... e três tostões para trabalhar outra vez e isso é um grandecíssimo aborrecimento já se vê assim como assim um jornalista não ganha o mesmo que um gaijo na política o mercado é muito mais oscilante nem é preciso curso para ter a carteira nem nada de nada quando não se consegue ser polícia ladrão militar ou professor de físico-químicas vai-se para jornalista tal como acontece na política só que aí a jóia é outra vá-se lá saber como ainda há gente com massa para a pagar mas isto é assim mesmo deus estava de folga quando distribuiram a vacina contra a política e agora é isto ó gepeto onde andas venha daí essa serra mecânica que temos o pedr... ooops... o pinóquio para serrar ao meio também pode ser às lascas sim senhor de que é que estás à espera velho do restelo caramba não se consegue arranjar mão-de-õbra competente nesta seca de país ó gualdina traz o cutelo da cozinha se fazes o favor que tenho aqui um trabalhinho excelente para as tuas artes de mulher a dias mulher a dias não empregada doméstica ó filha sejas o que fores és podre de boa e se fizeres este trabalhinho bem feitinho vais para as nações unidas garanto-te eu não mulher isso é a eurovisão...
publicado por manchinha às 12:00

Fevereiro 02 2005
a morte chega cedo digo-vos eu que estou aqui debaixo de muitos palmos de terra a pensar por que razão chega ela e não chega a ausência o vazio total o oblívio enfim
a morte chega cedo e surpresa total não nos retempera não é nenhuma meta continua tudo na mesma como nos pesadelos quando somos crianças em que estamos a tentar fugir de qualquer coisa e não saímos do mesmo sítio pesam-nos as pernas toneladas como se sofressemos de elefantíase
a morte chega cedo é assim como portugal que desespero que aridez a dos blogues dos líderes candidatos vá-se lá saber como é que se consegue ser tão completamente desinteressante quando a finalidade é caçar votos digo eu que me aborreci de morte só a ler meia dúzia de linhas que castigo é este o nosso a que eterno martírio nos condenaram quando nos destinaram um país em que qualquer político é tão absurdamente entediante que nos faz desejar estar mortos não mortos na cama em silêncio e no meio de lençóis mas assim com a cabeça debaixo de um autocarro completamente esmagada ou assim com uma rajada de arma automática violenta enfim qualquer coisa que seja a antítese deste pesadelo de nadas que se arrastam e não nos largam não desamparam a loja nem as nossas vidas e isto deve ser o purgatório eterno estar-se condenado à mediocridade e ao limbo neutro da política e das ideias deste canteiro à beira-mar plantado
a morte chega cedo mas nunca para o mal esse é eterno claro
a morte chega cedo mas não suficientemente cedo para afastar o tédio e o sentimento de derrota a viscosidade do que nunca deixará de ser insuficiente e medíocre
não votem em mim não votem em mim não votem em mim não votem em mim
publicado por manchinha às 15:21

manchas negras, cinzentas e brancas em todos os cantos da nossa vida. que fazer senão chocar de frente com elas e esperar que o acidente tenha consequências notáveis?
mais sobre mim
Fevereiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
18
19

22
23
24
25
26

27
28


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO