manchinha

Setembro 20 2007
não tem a mínima graça a cerveja frouxa assim sorvida na penumbra de um pub digo-vos eu que até me tira a vontade de beber e olhem que nas ilhas a sede ataca muito mais que nos outros sítios sendo que aqui também não há muito que fazer depois das cinco da tarde tudo fechado ruas desertas parece que é inverno mas ainda não chegou não admira que gostem de ir para o algarve torrar como as lagostas e beber até cair eu faria o mesmo digo-vos agora quanto ao verde é impagável e também é extraordinária a quantidade de pássaros coelhos e esquilos que pairam por aqui
publicado por manchinha às 13:25

Setembro 16 2007

parece-me

ver a tua

sombra

junto à minha

parece que

me sorris

murmurando o

meu nome

 

parece-me que recupero a felicidade a tua sombra na minha felicidade sempre que olhos que me encosto para trás e respiro fundo parece-me que tudo faz sentido sim senhora agora até veio um bocadinho mais de verão iluminar a minha janela com um sol brilhante quase quente parece-se assim que regresso de uma caminhada em que quase me perdia regresso sentindo-me renascer para passos mais frescos nem sei bem como os dizer descrever esses avanços que timidamente me permito mas são frescos isso eu sei que são com brisas que me despenteiam os cabelos para que queremos afinal os cabelos todos no sítio quando o importante é que estejamos nós no sítio alinhados com as nossas emoções e as nossas vontades isso sim é o que eu quero parece-me que a tua sombra me trouxe felicidade

publicado por manchinha às 14:09

Setembro 14 2007

às vezes acrescento-te à minha vida como acrescento tantas outras coisas só que tu não te deixas ficar no lugar das coisas levantas-te e caminhas e requeres-me para ti nessas alturas tenho de me acrescentar a ti

às vezes não faço amor perco-me apenas em ti e nos teus olhos no teu sorriso dou-te um beijo daqueles em que entramos pelos olhos uma da outra especiais como o amor deve ser só especial nunca vulgar sempre único

às vezes não acrescento nada de especial porque não tenho mesmo nada de especial nem me sinto sequer especial embora eu saiba que sim que sou especial da forma como todos somos mesmo especiais acrescento so porque me apetece e aí entras tu que também me apeteces se calhar é por tua causa que acrescento

 

publicado por manchinha às 21:12

Setembro 10 2007

palavras riscadas

no ar mágicas

úicas apaixonadas

traços desenhaods

sobre o teu

rosto tão amado

juras feitas

aqui para

sempre para ti

publicado por manchinha às 21:55

Setembro 10 2007
na verdade eu de nada sabia mas é possível descobri que é possível e com tanta benignidade que até a mim me surpreende de tão real de tão natural eu não sabia repito mas é assim mesmo de um fôlego uma história inteira uma vida um cento de esperanças paixão e amor que mais é necessário para felicidade?
publicado por manchinha às 15:43

Setembro 06 2007
hoje é dia de olhar
para o mar na direcção
em que seguem
os teus olhos
hoje é dia de
te sentir encostada
a mim
hoje é o dia
em que quero
pronunciar
palavras que
nunca tenhas
entendido
hoje é o dia de
confessar
de me render
completamente
ao sabor
da tua boca
hoje é dia
de me perder
no teu corpo
de jurar
de prometer
sonhar contigo
cantar dançar
adormecer
e renascer
ao teu lado
publicado por manchinha às 17:04

manchas negras, cinzentas e brancas em todos os cantos da nossa vida. que fazer senão chocar de frente com elas e esperar que o acidente tenha consequências notáveis?
mais sobre mim
Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
15

17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO