manchinha

Outubro 28 2006

 

por outro lado também me faltam as palavras para te dizer todas as coisas importantes pelo menos as que acho que te devem ser ditas não aquelas que incessantemente me repetes que devem ser ditas eu sei que eu repito umas e tu outras e assim nos vamos entendendo e desentendendo como se pouco mais houvesse para ser dito não julgues por isso que desvalorizo o que me dizes pelo contrário porque é mesmo apenas o que me dizes que me suscita este tipo de discursos nem imaginas quanto mas para que sossegues deixa-me dizer-te que há um som nas tuas palavras uma coisa especial e quando mas dizes despertas em mim toda a sorte de coisas emoções sentimentos embora às vezes não me apeteça sentir e por isso sou rude agreste e digo-te coisas que não te quero dizer não é bem culpa tua porque eu por exemplo nem sequer acredito em culpas é só que não estou habituada a sentir tanto e francamente às vezes dispenso-o e é mais fácil ficar cá dentro protegida a assistir simplesmente à vida

publicado por manchinha às 17:55

Às vezes precisamos falar com as paredes...
samartaime a 14 de Novembro de 2006 às 19:40

Palavras leva-as o vento algures para algum lado! Quantas vezes dizemos o inverso do que realmente queremos dizer? Dizemos por medo de mostrar algo... sentimento, emoção! Por vezes até somos rudes, quando queremos ser meigas? Machucamos quem queremos bem e... a nós próprias. Diliramos com a voz, a presença de alguém, mas mostramos o oposto? Parece que gostamos de nos martirizar! sera!? As palavras morrem na garganta, saem sem nexo... Pois, é muito mais fácil ficarmos quietas e silênciosas...
É bem verdadeiro o que escreveu manchinha!
Angell a 31 de Dezembro de 2006 às 23:17

manchas negras, cinzentas e brancas em todos os cantos da nossa vida. que fazer senão chocar de frente com elas e esperar que o acidente tenha consequências notáveis?
mais sobre mim
Outubro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26

29
30


pesquisar
 
blogs SAPO