manchinha

Junho 18 2007
se não se importam não me digam que um dia tomam café comigo porque isso jamais acontece e quer dizer apenas que de facto nunca tomarão café comigo por isso é melhor que não mo digam e também não me digam que escrevem a quatro mão comigo porque nunca mais o fazem e eu acabo por me entristecer porque quando digo que podíamos escrever a quatro mãos é porque gostaria mesmo de escrever a quatro mãos e acaba por não acontecer nada mas o pior claro são aquelas coisas mesmo graves de governo de falcatruas e de mudanças climáticas por exemplo em que ninguém fala ou falam muito pouco e que me parecem uma caminhada acelerada para o suicídio e é que eu tenho descendência caramba e faz-me imensa impressaão saber que essa gente que tanto me diz respeito vai ter que me sobreviver em condições ainda piores do que aquelas a que eu tenho de me submeter mas ninguém faz nada aí também e é que ontem na rtp deu um filme de ficção com montes de chavões em que um 'mau' dizia que o poder está na mentira e que quanto mais mentimos mais poderosos nos tornamos e eu acredito porque já vi tanta gente mentir e mentir e mentir ainda mais e não ser punida e até ser distinguida vejam lá por exemplo o caso da 'Fanny Owen' escrita pela Agustina Bessa uís e por ela vendida ao Manoel de Oliveira para fazer a 'Francisca' que afinal eram os diálogos de um filme de um realizador meu conhecido vocês lembram-se de uma empresa que fazia uns documentários porreiros para a rtp a arca filmes pois era essa mesma e o boss dela era o joão roque um realizador cheio de ideias e entusiasmos e foi lá entregar à agustina o argumento dele para a 'Francisca' que era uma das paixões dele o camilo castelo branco e aquela coisa romântica em que todos gostamos de acreditar e a mulher que se diz de letras e de cultura vai e escreve um livro ela e vende-o para o filme do manoel de oliveira mentiu portanto e ainda a premiaram e continuam a premiá-la vá lá saber-se porquê porque gente assim devia ter vergonha na cara e se não tem há muita gente que sabe o mesmo que eu e não abre o bico à espera que a mentira também os torne poderosos não sei se é assim ams esta gente vive ao contrário despreza-se desprezando os outros por isso estou cansada e agora vou dormir a sesta que depois de almoço uma soneca de dez minutos repõe a minha sanidade mental
publicado por manchinha às 13:58

manchas negras, cinzentas e brancas em todos os cantos da nossa vida. que fazer senão chocar de frente com elas e esperar que o acidente tenha consequências notáveis?
mais sobre mim
Junho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO