manchinha

Outubro 22 2007
estava aqui a pensar se faz algum sentido mas para mim é um prazer e por isso não desisto de olhar para o céu como para um grande ecrã e projectar lá os meus sonhos imagens visualizações de grande complexidade qualidade extensas e felizes hoje sou eu mas amanhã podes ser tu ainda não sei às vezes estou egoísta no que respsita à posse do meu céu só que é tão vasto que abarco apenas uma pequena parte por isso chamo-te peço-te que partilhes comigo a imensidão não posso perder-me em tamanha grandeza sozinha tenho de criar laços para poder voar mais longe que a gente só perde o norte podem ter a certeza então chamo-te convido-te mas a verdade é que já estás aqui no meu céu está muita gente de quem gosto porque passo a vida a vê-los no meu ecrã e isso não acaba mais como um filme uma sequela de tudo o vento levou mas sem cenas de feridos ou de guerra não que isso abomino é mais cenas de amor prazeres familiares sessões de cinema no sofá com a manta sobre os nossos joelhos e pipocas mesmo que não gostes de pipocas haverá sempre uma taça à nossa frente para misturar prazeres na vida como no ecrã mistura-se tudo e é o que sabe melhor como na mesa o contraste de texturas macias e estaladiças coisas que escorregam e outras que nos obrigam a ter um bocadinho de trabalho mas no fundo é o prazer que isso tudo dá a deslizar pela boca e a estimular-nos por dentro como uma sensual sessão de amor
publicado por manchinha às 13:30

eu também não desisto de olhar o céu. todos os dias o perscruto esperando que me devolva os segredos que guarda e as esperanças por vir. o meu céu é um céu algarvio, um céu escuro, campestre, puro, sem contaminação dos ruídos e das luzes das cidades onde as estrelas parecem mais perto e as constelações são bem legíveis. Cassiopeia está mesmo aqui em cima, espreitando. a lua trabalha para ficar cheia e a noite, ao contrário dos tempos que antecederam, hoje, pela primeira vez, está um pouco fria. gosto de partilhar o meu céu e cá estou eu partilhando-o contigo.
o meu céu está limpo e cheio de esperança numa nova vida que, todos os dias me surpreende pelas suas mudanças. por vezes o meu céu existe dentro de mim e aí sonho, crio, improviso e, de vez em quando até sou feliz.
crisipin a 22 de Outubro de 2007 às 21:15

manchas negras, cinzentas e brancas em todos os cantos da nossa vida. que fazer senão chocar de frente com elas e esperar que o acidente tenha consequências notáveis?
mais sobre mim
Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

24
25
26
27

28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO