manchinha

Março 13 2008
olha não sei o que tenho ou sei e não quero pensar muito nisso mas penso caramba se penso e penso devagar porque me faz bem isto que penso acaricia-me aquece-me e eu preciso disso sabes preciso de te dizer estas coisas e outras também quero pôr uma música suave com palavras dessas que se saboreiam na boca dançar contigo devagarinho a noite toda a vida toda falar-te ao ouvido baixinho dizer-te coisas que te façam sorrir e às vezes rir e olhar para mim e ter a mesma vontade de dizer e sentir o toque da tua cara na minha muito leve sem pressa porque quero guardar essa sensação pela vida fora o teu corpo perto do meu a acompanhar a música fecho os olhos e sei que estás aí uma agonia que me sabe bem olha não sei mesmo o que tenho nem me apetece sair deste momento parar o tempo aqui era importante era a eternidade o amor para sempre imutável naquele primeiro instante em que nos tocamos e nos reconhecemos olhos ainda baixos sem acreditar que tudo isto nos está a acontecer
publicado por manchinha às 13:53

manchas negras, cinzentas e brancas em todos os cantos da nossa vida. que fazer senão chocar de frente com elas e esperar que o acidente tenha consequências notáveis?
mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12

16
17
19
20

24
25
26
28
29

30


pesquisar
 
blogs SAPO