manchinha

Junho 23 2005
ocoiso1.gif

empilharam-se-me dúvidas existenciais logo no início desta semana sendo que me preparava para apanhar o autocarro para a cidade a partir da remota localidade em que actualmente me situo e eis senão quando uma dessas renaults minúsculas com aspirações a transportadoras de carga branca e alva como um electrodoméstico se amansa à minha beira o piqueno lá dentro fazendo-me sinais com a cabeça que a princípio até julguei que fossem tiques daqueles que as pessoas têm e com eles parecem que estão a fazer coisas cheias de sentido mas afinal não é só um reflexo condicionado por elas próprias e este era uma coisa semelhante mas vim a perceber ao cabo de uns momentos de natural confusão que não que o que ele estava a fazer era afinal um convite para eu ir para os pinheiros com ele imagino que para as coisas que as piquenas fazem com os piquenos nos pinheiros e às vezes até tenho alguma curiosidade e não me importava de ser mosca para ouvir uma dessas conversas ó filho queres que te bata uma ou coisa semelhante e calculo que ele logo a perguntar quantos euros claro está que um homem não espera que lhe façam nada de graça até porque se fosse não tinha piada há sempre um valor intrínseco numa puta que se faz pagar pelo trabalho que tem suponho que isso é uma linguagem de facílimo entendimento para os homens olha lá o que é que tens para a troca e quanto é toma lá dá cá deve ser por isso que arreiam forte e feio nas mulheres em casa que não lhes exigem um chavo e ainda agradecem o dinheiro para o cabeleireiro e para a pedicura depois de passarem o dia inteiro a esfregar e a passar a limpar e a cozinhar mas não se fazem cobrar pois não podem ter valor claro está isso é óbvio por isso que diferença é que lhes faz levarem umas porradas para se porem fora do caminho ou só porque quando um homem chega a casa e não lhe apetece mais nada de especial está ali aquela parva e então arreia-lhe claro que é o que elas fazem pôr-se à frente deles só para os irritarem quando tudo o que querem é que façam lá o trabalho delas e desapareçam que uma pessoa tem mais o que fazer do que estar sempre a olhar para um mamarracho suado e esbaforido a vassourar pela casa fora caramba ele há limites para a intrusão e às vezes nem sequer se consegue ver o caraças da televisão em paz sem haver um grito olha o comer tá pronto olha que daqui a nada dá a novela olha que chatice ter uma praga destas logo em casa pois não há-de um homem perder a tramontana e calar aquela fonte geradora de ruído mas voltando à vaca fria o piqueno estava para ali com os tiques a convidar-me e eu a olhar para ele ainda sem querer perceber que eram menos cinco minutos que as dez horas da manhã e aqui onde moro ele é só famílias e gente pacata não se vai pensar logo assim que esta gente anda aos pulos na mata a fazer sabe-se lá que poucas vergonhas até que eu lhe fiz sinal para ele ir andando sim circula meu que ainda perco o autocarro à conta da distracção e ele acabou por se afastar uns metros mas nada de desistir isso não que ele estava com uma fezada que eu era o número de sorte dele na segunda-feira pronto lá ficou um pouco mais à frente na renault electrodoméstica a piscar dos dois lados à espera que eu fosse ter com ele claro que dúvida é que podia haver só se eu fosse completamente parva é que não percebia a sorte que tinha de ter ali o senhor silva a escolher-me para ir para a mata com ele logo pela manhã e se calhar ainda a pagar-me uns trocados que isto com os euros anda mal é uma relação difícil tá claro e que lá fé não lhe faltava isso era uma coisa inquestionável porque ficou para ali com os piscas a cintilar até vir o malfadado autocarro atrasado contra o hábito tá-se a ver que quando a gente está desconfortável é quando eles parecem estar de bem com a eternidade e não ter pressa para nada e olhem que nem sabia bem se havia de me sentir lisonjeada por ter um convite daqueles logo pela fresquinha ou se havia de me pôr à frente do espelho a ver se me faltava algum dente se por acaso qualquer um me poderia confundir naturalmente com uma dessas prestáveis senhoras de avantajada idade que também andam a trabalhar aos pulos nas matas ou coisa que as valha eu cá não uso maquilhagem mas vá-se lá saber se não é isso exactamente que lhes dá pica e como estava de fraldas de camisa para fora cabelo a pingar que não me deu jeito usar o secador e acordar o resto da casa e ténis e calças de ganga vão lá ver ainda me confundiu com algum dos piquenos que anda por aqui agora a vender favores que agora é moda eles venderem essas coisas e os senhores de posição comprarem essas coisas e até aqui no portugal remoto se vê disso muito mais que das senhoras desdentadas que vão para o pinhal de qualquer modo no conjunto é humilhante digam lá que não é começar a semana assim com o senhor silva à espera que lhe trate do coiso que é outra coisa que eu acho de evidente menoridade no segmento masculino é estarem sempre à espera que lhes tratem do coiso caramba nem grandes se desenvencilham da mania de esperar que lhes façam tudo numa espécie de inaptidão social que os transforma nas tais crianças grandes que algumas pessoas têm tanto gosto em enunciar que raio de gozo é que dará ter um mastronço de um adulto sempre pendurado em alguém para uma série de coisas ó senhor silva compre um tijolo que sempre lhe dá o mesmo gozo e fica ao preço da chuva homem que raio
publicado por manchinha às 09:32

quer-me cá parecer que a menina sota do vento vai ao concerto da simone em olhão em agosto...Mancha
(http://manchinha.blogs.sapo.pt)
(mailto:e_manchinha@sapo.pt)
Anónimo a 23 de Junho de 2005 às 13:04

Vê lá tu bem que até estou a ouvir uma música nova (novo cantante e arranjos, que a música já é velha), que diz assim: "Eu que me comovo // por tudo e por nada // deixei-te parada // na berma da estrada // usei o teu corpo // paguei o teu preço // esqueci o teu nome // limpei-me com o lenço // olhei-te a cintura // de pé no alcatrão..." E continua, claro!... :)sotavento
(http://meiapraiameia.blogspot.com)
(mailto:sotavento_39@hotmail.com)
Anónimo a 23 de Junho de 2005 às 11:51

ó melher, num m'enervessssssssssssssssManchinha
(http://manchinha.blogs.sapo.pt)
(mailto:e_manchinha@sapo.pt)
Anónimo a 23 de Junho de 2005 às 11:23

Com que então piropos logo pela madrugada!... Mas também estavas à espera de quê? Não sabes que às dez da manhã não são horas de mulher honesta sair de casa quanto mais plantar-se numa paragem de autocarro? Na berma da estrada às dez da manhã?! E tendo logo adiante pinheiros? Ó Manchiiiinha!.. Pilantra
(http://samartaime.blogs.sapo.pt/)
(mailto:samartaim@yahoo.com)
Anónimo a 23 de Junho de 2005 às 11:12

manchas negras, cinzentas e brancas em todos os cantos da nossa vida. que fazer senão chocar de frente com elas e esperar que o acidente tenha consequências notáveis?
mais sobre mim
Junho 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
16
17
18

19
20
21
22
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO